SOS Planeta Terra – O Que Podemos Fazer?

SOS Planeta Terra – O Que Podemos Fazer?

Olá,
 
Hoje escolhi falar de um tema que tem estado cada vez mais presente no nosso dia a dia….  Aquecimento global, alterações climáticas, florestas a arder, o degelo nos polos, poluição, plásticos nos oceanos, ameaça aos ecossistemas, exploração animal, consumismo, e a lista podia continuar…
 
Com os recentes incêndios na Amazónia, através da comunicação e redes sociais, fomos inundados com imensa informação, posts, imagens, vídeos e notícias. O que antes não era possível saber, agora chega a nós de forma muito mais rápida. Mas nesta era da informação, parece muitas vezes que andamos desinformados, ou que escolhemos não nos informar devidamente. Outras vezes, usamos as notícias de forma inconsciente, sem que isso tenha qualquer impacto positivo nas nossas vidas e na dos outros, revoltamo-nos atrás de ecrãs, ficamos agressivos e indignados com tanta coisa.
 
Mas o que fazemos realmente para mudar o paradigma das coisas?
 
O que fazer com tanta informação que chega nos dias de hoje até nós?
 
O que fazer perante aquilo que nos indigna?
 
O que podemos realmente fazer, cada um de nós, para Salvar a nossa Casa?

 
REVOLUÇÃO VERDE – A NOVA ERA
 
A tendência para os próximos anos, é que estes temas ganhem cada vez mais destaque.
 
Por vezes, irá parecer que caminhamos na direção de um abismo, e que o retorno é pouco provável. Outras vezes virá a esperança, surgirão novas soluções, ideias, movimentos, descobertas, apoios e mudanças significativas rumo a um mundo melhor.
 
É uma dança entre o velho e o novo, entre a inconsciência e a consciência coletivas, entre a sombra e a luz, entre o poder daqueles que nos querem controlar e o nosso poder pessoal que vai ter cada vez mais voz e espaço neste mundo, uma dança entre o velho mundo e uma nova visão que já está a emergir…
 
Acredito num mundo em que nos respeitamos a nós mesmos e aos outros e a todas as formas de vida que nos envolvem. Acredito num mundo em que o avanço científico e tecnológico é essencial, e que pode estar ao serviço do Respeito pela Vida.
 
Confio que as novas gerações terão um impacto significativo nesta mudança de paradigma. Mas não podemos ficar de braços cruzados à espera. Não basta ter uma visão otimista da realidade, não basta acreditar. Para alguns, a minha visão pode ser utópica, e sim, será utópica, se nada fizermos hoje para mudar a realidade atual.
 
Por isso, o que podemos fazer, cada um de nós?
 
Sei que muitas vezes nos sentimos impotentes perante tudo o que está a acontecer… Achamos que podemos fazer pouco perante a imensidão do “problema”.
 
Neste momento as coisas parecem muito negras…. Esgotamos os recursos da Terra a uma velocidade brutal. O verde do planeta está a desaparecer a olhos vistos, estamos a extinguir espécies, os oceanos estão cada vez mais poluídos, o aquecimento global é uma evidência… Os nossos atos enquanto humanidade estão a corromper os ciclos da natureza. Não estamos a dar tempo e espaço à Terra para se regenerar e para se adaptar à nossa “evolução”.
 
Podemos destruir o planeta dentro de algumas décadas, mas tenho muita Fé e acredito sinceramente no melhor que habita o coração e a mente dos homens. Acredito que é possível ganharmos cada vez mais consciência, e que podemos utilizar da melhor forma, toda a tecnologia e sabedoria que temos nos dias de hoje.
 
O avanço científico e tecnológico pode estar ao Serviço do Bem Maior, do Respeito pela Natureza e do Respeito por todos os seres vivos. A sabedoria ancestral e a ligação aos ciclos da natureza, pode ser também ser colocada ao serviço de um Mundo Melhor.
 
Há tanta, tanta, coisa que podemos fazer. Não acredito na impotência. Acredito que cada um de nós se pode ligar aos seus recursos internos e externos, ao seu poder pessoal e agir a partir desse ponto.
 
Agir com o que temos.
 
Agir com os recursos que estão ao nosso dispor, sejam eles quais forem.
 
Agir com a nossa influência.
 
Agir com o que Somos.
 
O Planeta Terra tem a sua própria inteligência, movimenta-se divinamente através dos seus ciclos de vida-morte-vida.  Se queremos aprender sobre a nossa natureza humana, então, devíamos olhar para os ciclos da natureza, e tudo está lá, a sabedoria, a regeneração e a compreensão do que é a Vida.
 
A Terra tem um fluxo de vida surpreendente, cada ponto do planeta está interligado e tem sistemas de funcionamento que não foram deixados ao acaso. De forma ainda “inexplicável” reuniram-se as condições para a espécie humana, aqui, existir e se desenvolver. Devemos a este planeta e sistema solar estas condições, devemos a este planeta a nossa gratidão pelo útero sagrado em que nos gerou.

Como não honrar este Lar maravilhoso? Como não o respeitar?
 
Nós, humanos, nos últimos séculos temos estado a desligar-nos destes ciclos naturais, parece que muitas vezes nos esquecemos de como eles são, deixámos de olhar o céu, deixámos de reconhecer as estações, deixámos de apreciar o belo, voltámos o nosso olhar para o consumo e desconectámo-nos do Essencial. Ao longo de gerações fomos desaprendendo rituais importantes. Em nome do crescimento e da evolução pusemos em causa valores essenciais. A sede de poder e de possuir toldaram a nossa visão, deixámos de respeitar a Vida para dar lugar à nossa ambição coletiva.
 
A Terra pode viver sem nós, mas nós não podemos viver sem ela. Por isso é tão urgente mudar os nossos hábitos e estilo de vida! É tão urgente agirmos a partir das nossas condições e recursos atuais.
 

MAS O QUE TEMOS NÓS PARA DAR INDIVIDUALMENTE?

 
Temos tanto para dar… Há tanto que podemos fazer. Cada um de nós, na sua expressão individual, pode fazer tanto no sentido de contribuir para o coletivo e para o planeta.
 
Primeiro que tudo acredito que é fundamental sentirmos e pensarmos por nós próprios. Mais do que acreditar em alguém, em algum artigo científico, ou num governo, é emergente que resgatemos o nosso Poder Pessoal.
 
Não é minha intenção com este artigo impor a minha visão a ninguém. Quero aqui contribuir para que cada um de nós possa ter o seu próprio olhar, fazer as suas próprias conclusões, e se possível, perceber como pode agir diariamente por esta causa. Apresento algumas sugestões de como podemos agir de forma mais consciente, ter hábitos mais saudáveis, agir com o máximo de respeito pela natureza e assim ganharmos cada vez mais consciência da pegada que deixamos neste maravilhoso planeta.
 
Mas o que é isto de Poder Pessoal? Que também tanto se fala hoje em dia!
 
Bem, vou resumir mesmo muito, mas espero conseguir passar o Essencial.
 
Podemos resumir assim: Poder Pessoal é conhecer-me melhor, honrar e respeitar o que Sou, e agir sob a minha Verdade.
Pois só dessa forma posso agir em maior honra e respeito pelos outros, incluindo o planeta. Poder Pessoal é ganhar cada vez maior consciência do que Sou e do que se passa em mim e no mundo que me rodeia, e com essa Consciência ir fazendo Escolhas cada vez mais inteiras e construtivas.
 
Poder Pessoal não é sermos perfeitos, nem iluminados, nem fazer o que nos apetece sem pensar nas consequências das nossas escolhas.
 
Poder Pessoal é acolhermos o TODO que Somos.
É Sermos responsáveis pelas nossas ações.
É aprendermos a Aceitar o que Somos e o que É.
É estarmos com o momento Presente.
 
Quando vemos as coisas como são, e quando as aceitamos de forma plena pelo que são, isso é um sinal de respeito por nós, e dessa forma, podemos tomar decisões em maior verdade e consciência.
 
O Poder da Escolha é o maior Poder que temos.
 
Escolhemos a cada segundo das nossas vidas, estamos constantemente a fazer escolhas, desde as mais “banais” às mais “importantes”, e muitas vezes sem nos darmos conta: o que comer, o que vestir, que caminho seguir, que transporte apanhar, o que fazer para o almoço, o que responder a determinada pessoa, como fazer uma tarefa especifica, o que fazer aos nossos pensamentos, como interpretar determinada situação, etc, etc… A toda a hora interpretamos o que nos acontece, julgamos, criticamos, catalogamos e fazemos escolhas.
 
A vida na Terra, na dualidade, é uma escolha eterna. A cada momento temos de escolher. E a maioria das nossas escolhas são inconscientes e automatizadas, e muitas delas, senão todas, são tomadas com base nos nossos juízos de valor, ética pessoal e julgamentos, movidos por impulsos inconscientes.
 
Claro que também todo este artigo é escrito e elaborado com base na minha visão, no meu julgamento, nas minhas lentes pessoais. Aqui transmito a “minha verdade”, através do meu olhar, também ele enviesado pelos meus julgamentos, crenças e valores, esta é a minha verdade neste momento presente e apenas reflete isso! Não tem de ser a tua verdade. E através desta minha verdade tenho a genuína intenção de te inspirar a estares mais perto deste lugar de Poder Pessoal, deste lugar de fazer Escolhas mais Conscientes, e com isso agires por esta causa comum, para juntos cuidarmos melhor deste planeta que tão generosamente nos acolheu a nós e ao nosso processo evolutivo.
 
Agirmos a partir do nosso Poder Pessoal, estarmos mais conscientes das escolhas que fazemos a cada instante é o muito importante. Acredito que se estivermos mais alinhados e centrados em nós, mais despertos e mais atentos a tudo o que nos envolve, se nos conhecermos, se nos aceitarmos e respeitarmos, a par de mais uma série de outras coisas que podemos fazer e que podem contribuir para chegar a esse lugar, que tudo isso nos vai empoderando de Verdade e de Consciência, que tudo isso nos ajudará a ter um olhar mais claro e sábio sobre a Vida, e com essa Inteireza e Integração em Nós, podemos fazer escolhas diárias mais conscientes.
 
Podemos não escolher o que nos acontece, pois não controlamos assim grande coisa na vida, o controle é pura ilusão, mas podemos escolher como agir, como interpretar, como compreender o que nos está a acontecer.
 
E é neste ponto que estamos!!!
 
Está a acontecer ao planeta o que está a acontecer, vemos as imagens, assistimos aos vídeos, vemos o estado atual das grandes nações mundiais, vemos as guerras, os genocídios, assistimos às alterações climáticas, vemos a sombra humana e todos os atentados à vida a serem levados acabo por este mundo a fora, sentimos tensão e conflito em cada canto do Mundo…. Está tudo a acontecer… está! E podemos só acreditar no que quisermos, podemos nem ver noticias, podemos apenas olhar para o que nos envolve e ver a verdade, observar, observar a vida e o comportamento humano, observar o país onde vivemos, a cidade em que estamos, a forma como as pessoas agem e interagem, podemos até só observar a nossa rua, os nossos vizinhos, o nosso ambiente no local trabalho, a nossa vida familiar…
 
Convido-nos a todos a fazer isso.
 
Mesmo que não soubéssemos de nada do que se está a passar no mundo.
Imagina…. Observa…
O que observas em teu redor?

E procura observar sem julgar nem criticar, observa apenas, reconhece o que é.

Caminha, por exemplo, na natureza e observa como está esse ambiente, de que forma está cuidado por nós… Podes ir um pouco mais “longe” e sentar-te junto de uma árvore, deitar-te na terra ou na areia e ligar-te à Grande Mãe. Como a Sentes? Que gritos mudos consegues escutar? Que silêncio vem do reino animal?

Ativa os teus sentidos, todos eles, observa a partir dos teus seis sentidos. Observa o mundo que te rodeia atentamente… E tira as tuas próprias conclusões.. E vais ver, não precisas de artigos ultracientíficos, de teorias, de alguém que te diga o que se está a passar. Porque tu vais Ver e Reconhecer.

A Terra está em sofrimento, e a responsabilidade disso têm sido as nossas escolhas e ações enquanto coletivo.

Se te permitires ver, sentir, escutar, vais abrindo o teu Coração, a tua perceção aumenta, ligas-te e compreendes, compreendes e reconheces o ponto em que estamos todos.

Não devemos fugir mais desta realidade. É urgente despertar e agir.

 
#ACT FOR THE PLANET

Pegando agora nas coisas de forma mais prática, vou fazer uma série de sugestões, que a meu ver, podem ser pequenos, mas enormes contributos no sentido de agir pelo planeta.
 
Há sempre algo que podemos fazer, sempre.
 
Aqui, ou num país de terceiro mundo, podemos sempre contribuir. Não importa a nossa raça, ideologias, religião, tom de pele, língua, condições financeiras e sociais. O importante é percebermos o que Somos, vermos que recursos temos ao nosso dispor e que tipo de influência podemos ter junto da nossa comunidade. Qualquer que seja o impacto das nossas ações, ele será importante.
 
Os recursos são inúmeros:

  • Pode ser simplesmente o nosso corpo, as nossas mãos e pés permitem-nos fazer muita coisa com eles…
  • Podemos apanhar lixo da natureza
  • Podemos plantar árvores
  • Podemos começar por não poluir, não mandar lixo para o chão (por exemplo, todos os dias vejo alguém atirar coisas pela janela do carro, conduzo em Lisboa diariamente, é tão triste ver esta falta de civismo, podemos parar com isso)
  • Podemos usar o nosso telemóvel e computador, aproveitar de forma mais lúcida e responsável o acesso às redes sociais, recorrer à liberdade de expressão e partilhar dicas e ideias inspiradoras
  • Podemos ativar um dom criativo, através do qual podemos inspirar as pessoas para a causa
  • A nossa inteligência é também um recurso, como a podemos usar?
  • Como podemos através da nossa atividade profissional influenciar positivamente o ambiente que nos rodeia, os nossos clientes, a nossa empresa?
  • Que tipo de contactos pessoais tens? Que tipo de influência podes ser?
  • Por exemplo, os influencers deste mundo, podem usar a sua influência no mundo digital para chegar às pessoas e passar mensagens que valham realmente a pena. Eu, por exemplo, estou a utilizar a minha paixão pela escrita, o meu blogue, e as minhas redes sociais para te fazer chegar esta mensagem
  • Podemos ter apenas uma vassoura na mão e ir apanhar as beatas do chão
  • Podemos juntar-nos a movimentos e a organizações em que acreditemos
  • Podemos Reciclar, Reutilizar e Restaurar

A lista não acaba…. Temos tantos e tantos recursos ao nosso dispor, há tanta coisa que podemos fazer por mais limitados que sejam os nossos recursos.

Há malta que diz “ah, mas eu não quero limpar o que os outros sujaram”,

Eu respondo: Que importa ter razão? De que serve ganhar rancor por estas situações? Porque não sermos nós um exemplo do mundo que queremos ver?

Ninguém tem de fazer aquilo em que não acredita, ninguém faz verdadeiramente algo para o qual não está motivado e para o qual não vê real necessidade.

Então, quais as tuas necessidades e quais as tuas motivações por esta causa?

E move-te a partir daí.

Podemos melhorar imenso os nossos hábitos de consumo.

Já sabemos, por exemplo, que o processo de reciclagem também é poluente. Aliás podemos ver “problemas” em qualquer solução que encontrarmos. A minha sugestão é que vejamos sempre soluções, e na hora de escolher, escolher a solução com menor impacto negativo.

Acredito que tudo isto só nos ajuda a ir em frente, a encontrar novas e melhores soluções, e com isso evoluir também no nosso conhecimento. A evolução e inovação existem, porque alguém sempre desafiou o que já estava implementado, porque alguém sempre procurou soluções para algo que ainda não existia. A evolução acontece assim, por necessidade de ir mais longe, por vontade, por motivação e por pessoas que acreditam, e que, geralmente têm, grandes doses de criatividade e de visão maior.

Acredito em SOLUÇÕES.

Podemos melhorar os nossos hábitos alimentares. Ter mais consciência na hora de nos alimentarmos.  Ver as coisas como são, observar todo o percurso da comida até à nossa mesa, procurar reduzir o número de intermediários entre o alimento na natureza e a chegada à nossa mesa, perceber a distância que os alimentos percorreram e ver se há necessidade disso, perceber se o que comemos é ainda alimento e não um conjunto de coisas processadas que nem alimentos são, questionarmos os nossos caprichos alimentares.

Precisamos mesmo comer frutas tropicais importadas se moramos na Europa? Precisamos mesmo comer fruta e legumes fora de época? Precisamos mesmo de tanta comida exótica no nosso prato? Ou de alimentos que nem sequer existem no país onde moramos? Precisamos assim de tanta variedade de sabores? Precisamos de comer em quantidades tão grandes? Precisamos comer tanta comida processada? Precisamos ingerir tanta proteína animal?
Apenas questões para refletirmos…

OBSERVAR, OBSERVAR, OBSERVAR

Quando começamos a observar melhor, se calhar constatamos coisas sobre as quais uma parte de nós preferia não saber. Porque viver na ignorância não nos faz sentir tão responsáveis pelo estado atual do mundo. Mas quando ganhamos consciência, é inevitável, ganhamos também maior responsabilidade e isso vai incitar-nos a fazer novas escolhas. Se preferirmos continuar na ignorância, ou se optarmos pela desresponsabilização, isso também é válido, cada um fica com o preço das suas escolhas.

E basicamente é isto – Escolhas. O que queres Escolher?

Se para cada momento estivermos atentos a ver o impacto das nossas ações, sem culpas, mas sim com imensa compaixão, verdade e responsabilidade, vamos perceber que há tanta coisa que podemos fazer.

E não temos de nos culpar nem a nós nem a ninguém por ainda não o termos feito. Temos é de olhar o momento presente e a partir dessa nova consciência fazer novas escolhas.

SER UM EXEMPLO

Não é preciso tentar impor a nossa verdade aos outros, não vai resultar. É guerra, e não é na guerra que se encontra a paz, é no exemplo e na ação que se encontra a paz. “Sê a mudança que queres ver no mundo” já dizia Gandhi.

Não acredito em manifestações contra as coisas, não acredito na zanga e na raiva para resolver as coisas. Acredito em sermos, cada um de nós, um exemplo do mundo que queremos ver, sermos um exemplo daquilo em que acreditamos e que defendemos.

E podemos ir melhorando todos os dias. Não temos de mudar radicalmente de vida agora, não temos de fugir da realidade, não temos de voltar costas à sociedade atual, à tecnologia e à ciência. Pelo contrário, temos de estar aí, estar no mundo atual e levar a nossa magia aos recursos que estão a ser mal utilizados, levar uma renovação e uma revolução à forma como usamos os recursos. Gerirmos os nossos recursos de forma mais consciente e deixar que esse exemplo deixe sementes por onde passarmos.

Se somos investigadores, então, porque não investigar coisas mais sustentáveis e ecológicas no nosso setor?
Se me movo politicamente, então, porque não pegar nestes temas e levá-los ao parlamento, como alguns partidos já fazem?
Se sou professor, porque não levar estas sementes de consciência aos meus alunos através da própria matéria que lhes tenho de passar?
Se ninguém recicla no meu escritório, mas eu quero reciclar, porque não começar só eu e ver o que acontece depois?
Se sou pai ou mãe, avô ou avó, tio ou tia, porque não falar destes assuntos diariamente às nossas crianças?

O Mundo precisa da tua ajuda e do teu exemplo, todos nós somos importantes nesta história…. De que forma queremos que esta Era fique registada?

Qualquer, QUALQUER, projeto, ideia, pessoa, atividade, pode contribuir. É só fazer, é só ver a solução, acreditar e agir. Claro que precisamos sair do nosso umbigo egoísta, é claro que temos de ter visão de conjunto, temos de estar sensibilizados pela causa. Temos de pensar no TODO, na VIDA. Este Planeta é a nossa Casa, é a nossa Vida. Assobiar para o lado e não fazer nada porque acho que os meus atos não vão ter impacto no mundo, não é resposta.

Somos uma das milhares de gotas do oceano. Se muitas gotas se juntarem, o oceano muda de energia.
As mudanças grandes na civilização sempre começaram na ideologia e no coração de poucos homens, de homens individuados que acreditavam em algo maior que si mesmos.

Sim, houve mudanças ao longo de toda a nossa história, algumas parece que foram para piores, mas certamente nos ensinaram coisas essenciais. Caminhamos todos em conjunto enquanto humanidade e somos todos responsáveis por esse caminho.

Atualmente, temos tanta coisa e tanta informação ao nosso dispor, e parecemos ser tão ignorantes sobre o essencial. Aqueles que têm “o poder” e que não querem que nós o tenhamos, tentam controlar-nos através do consumo, do dinheiro, e de uma falsa noção segurança, prometem-nos o que não nos podem dar. É hora de olhar para lá disso, resgatar o nosso poder, ver com os nossos sentidos e fazer escolhas diferentes.

MUDAR OS NOSSOS HÁBITOS

Já há pouco falava dos nossos hábitos…

Podemos olhar a nossa casa e ver tudo o que temos nela, objetos, roupa, livros, alimentos, infraestruturas, tecnologia… e pensar no tipo de pegada ecológica que cada uma dessas coisas deixou.

Não digo para não termos tecnologia, mas, por exemplo, não precisamos se calhar de ter sempre o telemóvel mais recente do mercado, se calhar não precisamos mudar de carro e de mobílias a cada 5 anos, se calhar não precisamos usar e deitar fora coisas com a frequência tão alta com que o fazemos.
Podemos mudar apenas um hábito e isso fazer tanta diferença, e com o tempo irmos mudando a pouco e pouco a forma como gerimos os nossos recursos.

Usar sacos de pano, usar detergentes ecológicos ou caseiros, reduzir consumo de água, luz e gás, reutilizar coisas, restaurar, reciclar, doar. Apoiar empresas que tenham valores semelhantes aos nossos, procurar consumir junto de pessoas e empresas que atuem também neste sentido da ecologia, da sustentabilidade e do respeito por todas as formas de vida.

Não AGIR não é solução.

Este meu artigo já vai longo, ainda mais me apetecia escrever sobre o tema. 😊 Espero que esta partilha te tenha ajudado e inspirado a ver de novas perspetivas. Se já tinhas esta visão então sente que sou mais uma a juntar-se ao movimento #actfortheplanet

Se te fizer sentido partilha este artigo para que chegue a mais pessoas que se possam interessar pelo tema.

Em baixo deixo agora uma série de sugestões. Alguns documentários que recomendo. Alguns livros que podem ajudar-nos a ter ideias. Algumas petições que podemos assinar pela causa da amazónia e outras que têm a ver com estas temáticas. E também algumas fundações e organizações para as quais queiramos fazer algum donativo.

Juntos fazemos a diferença,

Faz a tua parte!

Um mega abraço,

Cláudia

DOCUMENTÁRIOS

Nestes documentários encontras diferentes temáticas. Penso que vale a pena ver todos, de coração e mente aberta. São muito reveladores. Quase todos eles estão disponíveis na Netflix.

BIBLIOGRAFIA

Bom, livros, esses poderia colocar aqui uma lista sem fim…. Tentei escolher livros mais práticos e direcionados para ações que podemos tomar nas nossas vidas diárias. Foquei-me um pouco na questão do plástico e na gestão de recursos.

Existem excelentes livros sobre outras temáticas que vale a pena procurar, sobre: minimalismo, permacultura, ecologia, sustentabilidade, entre outros.

ALGUNS PRODUTOS PARA UMA VIDA MAIS SUSTENTÁVEL E ECOLÓGICA

Pequenos hábitos que podem fazer a diferença. Temos muitos produtos interessantes no mercado. Aqui partilho contigo alguns produtos de marcas portuguesas, das quais já conheço alguns artigos. São apenas sugestões. Depois cada um pode procurar estas mesmas coisas e outras nos mais variados locais.

 
Em Portugal temos empreendedores fantásticos que criaram marcas que apostam na sustentabilidade e que fazem questão de deixar a sua pegada verde, ajudando-nos a ter produtos mais amigos do ambiente.
 

PETIÇÕES

Por Uma Tomada de Decisão do Governo Português Contra o Crime Ambiental na Amazónia
Impedir o desmatamento e exploração da Amazónia
Rehabilitation of Amazon Rainforest
Tell the EPA: Don’t Let Big Plastic Trash our Oceans
Alerta Lítio – Contra a Extração e Mineração de Depósitos Minerais em Portugal
 
Há centenas e centenas de petições úteis que podemos assinar, é só ir procurar e fazer a nossa parte e partilhar. Não custa nada, demora uns minutos e está à distância de um clique. Muitas destas petições conseguem efetivamente chegar aos governos e organizações, levando a voz de um coletivo que pede medidas de prevenção, medidas mais proativas e mais conscientes, com vista à melhoria da vida de todos nós. As petições que partilhei estão essencialmente direcionadas para a questões ambientais. Mas existem muitas outras causas às quais te podes juntar.
 

DONATIVOS

Doar para organizações ou causas em que acreditemos também é uma opção. Doamos o que podemos e todos juntos conseguimos alcançar milagres. Veja-se o caso da bebé Matilde em Portugal. 1 euro pode parecer pouco, mas se formos 1 milhão de pessoas a doar 1 euro, juntamos 1 milhão de euros.

Eu tenho o hábito de todos os meses doar para uma organização que tenha uma causa em que eu acredite. A maior parte das vezes apoio associações portuguesas, mas duas ou três vezes por ano escolho associações internacionais.

Aqui partilho organizações de apoio às florestas, e recomendo muito que deem uma vista de olhos na Fundação do Leonardo Dicaprio e todos os projetos que por lá são desenvolvidos.
Eis um exemplo excelente de como uma figura pública usa de forma tão interessante e inspiradora a sua influência.

De coração em coração transformamos o mundo!

Amazon Watch
Rainforest Trust
Ran
Leonardo Dicaprio Foundation

 
MÚSICA PELA TERRA

Earth de Lil Dicky – Que vídeo e música tão inspiradores. Magnifico mesmo!! “We love the Earth, It is our planet, We love the Earth, It is our home…”
 
Fiz todas estas sugestões de coração. Recomendei de forma livre, sentindo que podem ser algumas das formas de fazermos a nossa parte.

Ainda achas que não podes fazer a Tua parte?!

Obrigada Mãe Terra por toda a abundância de Vida que sempre nos tens dados ao longo dos tempos. Eu Respeito-Te, Eu Honro-TE, Eu Amo-Te. Gratidão à Vida!
 


Convido-te a visitares:

>> O meu site: www.claudiamachado.com

>> O meu canal de YouTube, que podes subscrever: https://www.youtube.com/channel/UCOfA156NpTJwBJNPtB5fOfQ

>> Aqui encontras testemunhos sobre o meu trabalho: https://claudiamachado.com/testimonial/

>> A minha página no Facebook: https://www.facebook.com/claudiamachadoastrologia/

>> O Facebook “Desperta O Teu Yogui”: https://www.facebook.com/despertaoteuyogui/

>> E se gostas do meu trabalho, e me queres acompanhar mais de perto, podes pedir adesão ao meu grupo no Facebook “Desperta Para O Teu Coração”:https://www.facebook.com/groups/despertaparaoteucoracao/

Lua Nova em Capricórnio – Responsabilidade e Compromisso

Lua Nova em Capricórnio – Responsabilidade e Compromisso

moon-2261260_1280

Olá,

Espero que te encontres bem!

Esta madrugada, dia 17 de janeiro, cerca das 02:18 (horário para Portugal Continental), tivemos a Lua Nova de Capricórnio.

Esta é a primeira Lua Nova deste novo ano de 2018, é por isso também um acontecimento especial, a oportunidade de semearmos com esta energia, os nossos desejos e objetivos para 2018.

Já tenho partilhado contigo, ao longo de mais de um ano, o meu trabalho com as energias dos ciclos lunares, e pela altura da Lua Nova, é tempo de recolhimento, de silêncio, de introspeção, um momento de acedermos ao feminino em nós, ao útero primordial da vida e podermos dessa forma colocar as nossas mais autênticas sementes, daquilo que desejamos, plantá-las no solo fértil em nós, cobri-las com terra, nutri-las, confiar no processo e sermos pacientes com o germinar, que acontecerá no seu tempo e lugar certos.

Este é um processo simples e fácil de entender, mas sem sempre tão fácil de executar. É muito fácil confundirmos os desejos do nosso ego e da nossa personalidade, com o que são realmente os apelos da nossa Alma, os desejos que refletem a verdade daquilo que precisamos agora, a cada momento das nossas vidas.

E esta tem sido para mim a grande viagem neste trabalho, o ser capaz de me escutar de forma cada vez mais clara, para precisamente compreender melhor aquilo que preciso e quero a cada instante, desde o mais material e básico, até ao mais filosófico e subtil. Tenho feito nesta jornada, essa descoberta e aprendizagem, daquilo que realmente serve o meu caminho no momento presente, e que sementes escolho conscientemente plantar.

Não há formas perfeitas de fazer as coisas, o principal é começar, começarmos todos os meses a conectar-nos com os ciclos lunares e aproveitar essa energia para nos impulsionarmos num cumprimento da nossa Alma. Aproveitarmos essa energia para nos irmos conhecendo cada vez melhor, através da introspeção, do recolhimento, do silêncio, da escuta ativa, e também dos nossos comportamentos, atitudes, ações e decisões que tomamos a cada momento.

Observo com muito mais clareza e rapidez as imensas transformações na minha vida desde que comecei a trabalhar com os ciclos lunares, de forma mais consciente em 2014.

Hoje quis fazer esta introdução e convidar-te também a que possas ler (ou reler) o meu Ritual de Intenções Com a Lua Nova, que te vai ajudar a compreender parte do processo e serve de complemento a este artigo, onde me proponho também a falar um pouco dos temas trazidos por esta Lua Nova em Capricórnio.

Trabalhar com os ciclos lunares implica irmos sabendo e conhecendo que temas cada lunação pode despertar, porque as energias dos diferentes signos ativam processos diferentes quando são tocados, e uma Lua Nova em Capricórnio toca em temas sérios 😉 Mas vamos lá trazer alguma leveza ao que é sério, porque o que é sério não tem de ser necessariamente pesado!

A minha primeira escolha é falar sobre Responsabilidade

Assumirmos a responsabilidade pela nossa vida, pelas nossas escolhas, pelas nossas decisões, pelos nossos comportamentos, pelas nossas atitudes, pelas nossas vontades e também pelos nossos maiores sonhos e desejos, pelos empreendimentos que a nossa Alma deseja ver manifestos nesta vida.

Reflete sobre:

Onde posso assumir maior responsabilidade sobre a minha própria vida?

Que responsabilidades me pertencem, e tenho andado a delegar ou a projetar, inconscientemente, nos outros?

De que formas construtivas, sérias e responsáveis, posso assumir a responsabilidade pelas minhas escolhas, pelas minhas decisões, pelos meus sonhos, em suma, pela Vida que me foi concedida?

Altura de assumirmos Compromissos

Assumir a responsabilidade sobre a nossa própria vida leva-nos a que honremos um compromisso autêntico e leal connosco próprios, sem um sentido e sério compromisso, será mais difícil mantermo-nos focados e determinados quando tomamos decisões.

Boa altura para refletirmos sobre o nosso grau de compromisso. Onde é mais fácil para mim comprometer-me? Onde é mais difícil? O que sinto quando escuto a palavra “compromisso”?

Muitas vezes conotamos o compromisso a algo negativo, mas sem compromisso é mais difícil materializarmos as coisas. E comprometermo-nos verdadeiramente com algo, com alguém, com uma situação, com uma decisão de vida, com uma verdade, não é sinónimo de prisão ou de corte de liberdade, porque se nos comprometermos com a verdade, essa é verdadeira liberdade.

Sempre que somos autênticos, honestos e verdadeiros connosco e com os outros, e assumimos um compromisso connosco mesmo de o sermos, então, isso é um degrau para a liberdade, para a plenitude e para a realização.

Com o que preciso comprometer-me agora na minha vida?

Que compromissos tenho assumido que não aderem à minha verdade?

Que renovação preciso dar nos meus compromissos?

Com que grau de autenticidade me quero comprometer comigo mesm@ e com a minha vida?

 

Objetivos e Metas

Em Capricórnio é uma excelente altura para definirmos com maior clareza os nossos objetivos. Objetivos reais e concretos, estabelecer metas e os passos que queremos dar, dentro da realidade que temos no momento atual.

É sermos realistas perante as nossas circunstâncias, e podemos aproveitar esta energia para colocarmos intenções de sermos capazes de estabelecer objetivos claros e concretos daquilo que queremos concretizar. Podemos mesmo fazer os pedidos desses objetivos, se já forem claros para nós.

Que objetivos preciso redefinir?

Que objetivos tenho para este ano e/ou para as próximas 4 semanas?

Em que me quero focar e trabalhar agora?

O quem mim precisa de foco e atenção plenas?

 

Tempo e Paciência

Capricórnio ensina-nos onde temos de aprender a respeitar o tempo e a cultivarmos a paciência de forma transversal na vida. Num meio ocidental como o nosso, esta é uma das virtudes mais desafiantes a trabalhar, no geral claro, há exceções. Em Capricórnio as coisas tornam-se reais, as ilusões caem, as formas materializam-se, e é onde é possível vermos o que é, pelo que é. Então nesse reconhecimento há que desenvolver a paciência, a sabedoria, fazer amizade com o tempo, saber esperar, saber avançar, com firmeza, com foco e com determinação.

Nesta lua nova posso pedir para ganhar mais poder sobre a gestão do meu tempo. Para ser capaz de implementar novas e mais saudáveis rotinas, que me conduzam aos resultados que procuro alcançar. Posso pedir para ser mais paciente e para saber fluir com o devir da vida. Ser capaz de reconhecer o que é, e de o aceitar. De ver em mim o que é, e o que não é, e deixar ir tudo aquilo que não seja.

Onde, na minha vida, posso aprender melhor a esperar?

Como é a minha relação com o tempo?

Como giro o meu tempo? E de que novas formas quero gerir o meu tempo e energia?

Onde quero cultivar mais paciência e resiliência na minha vida?

 

Concretização e Realidade

Como referi acima, em Capricórnio vemos o que é real, é onde delimitamos as nossas fronteiras, onde construímos as nossas zonas de conforto. E esta noção de terra, de espaço e de segurança, é fundamental para construir bases sólidas para os vários empreendimentos nas nossas vidas, principalmente o empreendimento principal – Nós Mesmos – enquanto Seres divinos numa experiência humana ao serviço do Bem Maior.

Esta é uma altura para encararmos a minha realidade, seja em que área de vida for, e aceitar e delinear como me posso concretizar a cada dia. O que preciso fazer para manifestar novas realidades a cada instante, que me tragam sucesso, que me tragam sentido de dever cumprido, que me preencham com um profundo sentido de realização?

O que quero construir e realizar?

Onde é seguro para mim estar?

Onde é que faço um trabalho bem feito e posso aprofundar?

De que forma posso colocar as minhas competências e talentos ao serviço das minhas atividades e também do meu plano de Alma?

Que pilares preciso reforçar para continuar a escalar a montanha?

Onde preciso agora encarar a realidade na minha vida?

 

Controlo excessivo e Inflexibilidade

Existem também alguns desafios associados a Capricórnio, relacionados com o utilizar de forma disfuncional algumas das suas energias. E se for o nosso caso, então também podemos nesta Lua Nova, reconhecê-lo e pedir para encontrarmos o equilíbrio no uso destas energias.

Alguns desses desafios são: a necessidade excessiva de autocontrolo, e de controlo sobre os outros, este excesso vem do medo de confiar, do medo de delegar, do medo de perder a noção do que é seguro e do espaço que ocupo; falta de alegria e pessimismo, por terem muita noção da realidade, pessoas com estes padrões, sentem muitas vezes falta de alegria porque não cultivam tanto a fé, a confiança, o otimismo; muitas vezes surge também a inflexibilidade, o medo de fazer novas abordagens perante a vida, as autojustificações constantes, a severidade, medo em sair da zona de conforto… Tudo isto, em suma, por muito receio de perdermos as falsas noções de segurança que estabelecemos para nós. Capricórnio delimita essas zonas mas muitas delas são “falsas” pois foram construídas sob falsas premissas que criamos sobre a vida.

Onde preciso abdicar do controlo e autocontrolo?

O que posso delegar mais? Em quem posso permitir-me confiar?

Onde preciso confiar mais, ter mais fé?

Que áreas da minha vida precisam de maior alegria e otimismo?

Que zonas de desconforto preciso enfrentar?

Que falsas noções de segurança tenho andado a construir?

 

O trabalho com a Lua Nova é fantástico e ganha uma outra dimensão quando o fazemos olhando também o nosso mapa de nascimento, pois torna-se bastante enriquecedor percebermos a cada mês que áreas e dimensões da nossa vida estão a ser ativadas e testadas.

Com vista a esse processo eu tenho os meus encontros regulares pela lua nova, momentos em que nos reunimo para uma sessão de partilha sobre as energias lunares, colocamos as nossas intenções, meditamos com a Lua, e expandimos a nossa energia e abertura ao grupo e aos nossos mais íntimos desejos.

Estes encontros são presencialmente em Lisboa, no Espaço Amar, mas podem também ser frequentados online, em direto. Se ainda te quiseres juntar hoje a nós basta enviares-me email para claudiamachado@claudiamachado.com

Recebo as ultimas inscrições até às 16h de hoje (17 janeiro). Depois o próximo encontro de Lua Nova, será na Lua Nova de Aquário a 15 de fevereiro. Podes ver Aqui mais sobre estes eventos.

Ficas então neste artigo com algumas dicas sobre o que podes trabalhar internamente com esta energia da Lua Nova em Capricórnio. Espero que esta informação te seja útil, e que desta forma possas potenciar ainda mais as tuas intenções para este período.

A abordagem neste artigo está bastante resumida e sintetizada, o objetivo foi mesmo resumir para ser mais fácil de entender e de colocar em prática. Para estudos mais aprofundados podes consultar um profissional, ou então bibliografia adequada ao tema.

Desejo-te uma Mágica Lua Nova, e que as tuas Intenções se fortaleçam com a energia da Verdade, da Responsabilidade e do Compromisso, em prol do teu Bem Maior e de tudo o que te rodeia.

Assim Seja,

Com Amor,

Cláudia