Honrar a Mulher que Somos e Honrar os Homens que nos apoiam a sermos cada vez melhores Mulheres.

A minha gratidão a todos vocês, homens e mulheres que inspiram e tocam vidas, que partilham amor, que contribuem para um mundo melhor, mais consciente, mais nutrido, mais autêntico.

Que este dia nos ajude a relembrar que todos os dias são bons para honrarmos mais a nossa condição humana e espiritual, reconhecermos o papel importante das nossas vidas individuais sobre o coletivo e integrar as energias complementares que são o feminino e o masculino em nós.

Precisamos de Mulheres livres e genuínas, mas também precisamos de Homens assim. No “nosso” mundo ambos somos fundamentais.

Quanto à Mulher, é ela que ensina a profunda sabedoria da vida, ela é água e movimento, é morte e vida, dá à luz as suas criações, ela flui, ela se adapta, a Mulher é fertilidade, colo e nutrição, é o embalo da vida em cada estação. O Homem é aquele que fecunda e que avança, é a força e a inspiração. Somos ambos tão importantes.

Hoje, de forma simbólica, celebra-se então a Mulher. Resgatei um poema que escrevi há cerca de dois anos e resolvi (re)publicá-lo para o fazer chegar até vós.

É a minha homenagem sincera a todas nós, e o meu abraço de amor a toda a humanidade.

SER MULHER

Ser Mulher é ser Vida,

É aceitar-me como sou,

É reconhecer as minhas fraquezas e fragilidades,

É honrar-me a cada instante,

É lembrar-me que sou humana,

Que também erro e que também caio

E que encontro forças em toda a minha vulnerabilidade.

É saber que sou Sombra,

Que muitas vezes não gosto do que sinto e do que penso,

Do que sou e do que manifesto,

Mas Ser Mulher é também acolher-me nesses lugares sombrios,

É acolher a minha imperfeição,

Ser gentil e amorosa comigo,

Aceitar o que tantas vezes quero esconder.

Acolher as minhas várias dimensões

E reconhecer que sou força eterna,

Que sou luz radiante

Que vim das estrelas,

Mas que venho também das entranhas da terra

Que sou feita de Terra e de Pó de Estrelas,

Que vim do Céu, mas nasci no escuro do ventre da grande Mãe.

Sou coragem,

Sou inspiração,

Sou suavidade e ternura,

Tempestade e mar calmo,

Ruído e Silêncio.

Sou o que escolho ser a cada momento,

Sou mutável, instável, um Ser em constante transformação,

Sou menina, mulher, anciã,

Sou filha, sou neta, sou mãe,

Sou aquilo que escolho ser.

Sou também o reflexo daquilo que em mim nego,

Daquilo que muitas vezes rejeito e que procuro afastar,

Sou muitas vezes lágrimas, dor e sofrimento,

Mas sou também sorriso, gargalhadas e celebração.

Sou alegria em movimento,

Sou gratidão e contemplação,

Sou amor profundo e eterno.

Também sou raiva e frustração,

Zanga e escuridão.

Ser Mulher é um Caminho de Vida,

É uma aprendizagem constante,

É o reconhecer de tudo o que somos e de tudo o que abarcamos,

Sabendo que nunca nada é eterno,

Mas sim, que a vida é impermanência num perpétuo movimento.

Sou recordação constante do lugar de onde vim,

Do lugar para onde caminho,

Da Casa onde um dia regressarei,

Sabendo que é em Mim que para sempre habitarei.

Sou aquela que busca o sentido e o propósito,

Aquela que vislumbra os horizontes em busca de respostas,

Aquela que encontra as respostas dentro,

Muitas vezes refletidas fora.

E sou um lugar habitado que transcende este plano,

Sou matéria subtil em constante movimento,

Sou a própria impermanência da vida,

Sou útero sagrado que gera a VIDA

Um útero escuro onde a fertilidade existe,

Um útero húmido e recetivo que aguarda a fecundação.

Sou a Lua que reflete a luz do Sol,

Sou Lua sombria e escura,

Mas sem a qual não seria possível contemplar a Luz na noite.

Sou aquela que equilibra.

Sou a sabedoria que encontra no homem o ponto de fusão.

Sou aquela que respeita e honra o masculino,

Sou aquela que deseja ser fonte eterna de Amor.

Sou a taça da alquímia e da transmutação,

Sou o cálice da vida eterna,

Sou aquela que lembra o lugar de onde vim,

Aquela que honra os seus antepassados,

Que honra e agradece o Dom da Vida,

Aquela que acolhe e que perdoa,

Aquela que liberta e que absolve.

Sou aquela que sabe o que quer,

Sempre que se liga ao Coração.

Sou amor em movimento,

Nutrição, colo, generosidade,

Empatia, paciência, flexibilidade,

Gratidão a cada inspiração.

Sou aquela que se olha no espelho e chora quando não é capaz de se aceitar

Mas também sou aquela que se aprende a aceitar a cada momento.

Sou aquela que se aprende a Amar todos os dias, 

Mesmo, muitas vezes, no desamor por si mesma.

Sou aquela que honra a Alma que me habita,

A Alma que na verdade Sou.

Sou aquela que nos piores momentos encontra a Luz que nunca se apagou.

Sou aquela que ama incondicionalmente,

Que se entrega, que se dedica, que se disponibiliza,

Aquela que se rende a cada momento,

Ou que aprende a render-se, após tanto resistir e sofrer.

Sou aquela que aprende a aceitar a perfeição da sua imperfeição

Sou aquela que também julga, crítica e agride,

Mas sou também aquela que sabe gerar compaixão.

Sou a Mulher que acolhe profundamente o papel de mulher,

Sou a Mulher que a cada dia aprende a caminhar com mais segurança e confiança,

Sou a Mulher que vive com coragem os caminhos insuspeitados da Vida,

Sou a Mulher que cada vez mais reconhece as bênçãos e os Milagres da Existência.

Sou a Mulher que hoje Sou,

Mutável,

Sabendo que amanhã tudo pode mudar,

Que num instante tudo muda de rumo,

E que a vida assim é,

Feita de ciclos constantes.

Sou aquela que escolhe a Vida,

Sou aquela que abraça o masculino ainda com dor,

Que é gentil com as irmãs em seu redor.

Que ganha consciência no seu papel para o futuro da humanidade.

Sou aquela que acredita no seu próprio renascimento,

Sou a sábia que reconhece o ciclo impermanente da vida-morte-vida.

Sou aquela que sabe que só o Amor cura,

Que só o Amor existe,

Sou a mulher que reconhece na sombra a capacidade de superação,

Que sem sombra não há luz,

E que a sombra existe para reconhecermos e aumentarmos a nossa capacidade de Amar.

Sou mulher-fera, mulher-instinto, mulher-selvagem,

Sou mulher-cidade e mulher natureza.

Cabem em mim todos os mundos,

Sou todas eles, e em todos existe um pouco de mim.

Sou a Mulher que escolho ser a cada instante,

Sou todas as mulheres, todas as crianças e todos os homens deste mundo.

Sou a Mulher que Ama SER MULHER.
 
Esta Mulher Sou Eu, És Tu, e habita também o coração de cada um dos Homens.

Dedicado a todas as Mulheres deste Mundo, as atuais, as futuras e as ancestrais.

E uma dedicação especial à minha querida Avó Lena. Avó, contigo aprendi a Amar, e a ti te honro a cada dia. OBRIGADA. Que continues a celebrar este dia a partir do lugar onde estás, hoje farias 80 anos. Daqui te Celebro e te Honro.

Com Amor,

Cláudia

%d bloggers like this: