Abençoado Novo Ano

spring-276014_1280

Olá,

Hoje, dia 20 de março de 2017, pelas 10:30 (horário em Portugal Continental) demos as boas vindas ao Equinócio da Primavera, que acontece no Hemisfério Norte.

A tão desejada Primavera, chega com a entrada do Sol em Carneiro, marcando também o início do Novo Ano Astrológico, um novo ciclo que hoje se abre cheio de novas possibilidades. A energia dispensada por Carneiro fala-nos de começos, de impulsos, de coragem, de iniciar, de romper finalmente da terra para enfrentar a Luz do Sol/Consciência que nos habita e ilumina.

É na Primavera que assistimos ao nascer das flores, ao despontar de mil e uma cores, aos dias cada vez maiores, aos animais que despertam, aos insectos que eclodem, às neves que derretem pelas encostas das montanhas, aos lagos que descongelam, ao pólen que livremente circula no ar por esta altura… a Primavera cheira a Vida e a Nascimento, e nesta fase, se estivermos atentos, podemos olhar ao nosso redor e ver VIDA, Vida em cada animal, em cada flor, em cada árvore, em cada sistema, em cada sorriso.

Carneiro convida-nos a esse Nascimento, ele relembra-nos que é altura de nascer, de sair de baixo da terra escura, húmida e fria, que nos nutriu e acolheu durante o inverno. Devemos despontar da terra para que agora os nutrientes vindos pelo Sol nos possam ajudar a crescer vigorosos, vitais, fortes, delicados, perfeitos…

É um convite, mas cabe-nos a nós aceitar, aceitar o convite para a dança sagrada da Vida e avançar com coragem em mim, e por mim. Transcender-me cada vez mais, ganhar consciência de mim mesm@ e dos meus verdadeiros sonhos, fazer o que realmente me inspira e me apaixona, ser fiel aos meus valores, ser autêntic@ e espontâne@, libertar-me de tudo o que me prende, da mente que me prende, parar de resistir, fluir com a vida, despontar a linda flor que brota no meu coração, e Ser, Ser simplesmente o que Sou.

Pode não ser fácil levar a cabo essas decisões e ações, mas Carneiro também nos ensina a reconhecer em nós a coragem, a determinação, e a vontade de o fazer. Percorrendo a vida pelo nosso impulso primordial de conquista, de descoberta, de aventura, de cumprir e iniciar algo em nós. Que esta jornada conheça também consciência, amor e o ideal pelo bem maior, meu e de tod@s.

Podemos aproveitar a próxima semana para nos alinharmos profundamente com estas energias e com todo este novo ciclo que agora iniciamos. Em astrologia fala-se que entramos agora num período regido pelo planeta Saturno, durante 36 anos. Uma outra corrente mais antiga, segundo a estrela dos caldeus, diz que este novo ano é regido por Vénus (sendo que a cada ano este regente muda seguindo a ordem da estrela). Não me vou alongar por hoje nestas explicações astrológicas, sendo que alguns astrólogos escolhem apenas uma destas regências, e outros interligam as duas. Na minha visão faz sentido integrar as duas, sendo assim, na minha visão, iniciamos agora um Grande Ciclo de 36 anos que será regido por Saturno, onde anualmente existirá um outro co-regente do ano (que muda anualmente), e que acompanhará Saturno nesta sua jornada/regência, sendo que de 20 de março de 2017 a 19 de março de 2018, vejo um período regido por Saturno e Vénus.

Vou, em baixo, resumir a minha visão astrológica para este novo ano, para vos fazer um apanhado daquilo que considero importante.

Primeiro, em relação à regência de Vénus, podemos ver um ano pautado por diversos eventos de destaque mundial ligados às artes, música e cultura. Poderemos assistir cada vez mais a tentativas de acordos de paz, de conciliações, de busca por consensos, parcerias, busca de equilíbrio e de integração de opostos. Nas políticas mundiais poderemos ver um aumento dos extremos, mas também um aumento de governos que podem funcionar por coligação (vejamos o caso de Portugal, com a “Geringonça”, que está muito a ser falado lá fora, despertando grande curiosidade). As manifestações pacificas poderão aumentar, assim como aquelas em que os jovens participam cada vez mais. A preocupação ambiental, com a natureza e com o bem estar dos animais aumentará cada vez mais, cada vez mais pessoas despertarão para a necessidade de honrarmos e de cuidarmos do nosso planeta, haverá cada vez mais disponibilidade para uma alimentação saudável e biológica, em conformidade e respeito pelos ciclos da natureza, tendencialmente crescerão o número de vegetarianos e veganos. Maior procura por tecnologia e fontes de energia limpa, mais cuidado no uso dos recursos e das coisas que fabricamos, maior enfoque no reaproveitamento, reutilização e reciclagem das coisas. E acredito, e vejo, crianças que nascem cada vez mais luminosas e já conscientes de todas estas coisas.

A nível pessoal é um ano bom para pensarmos em possíveis parcerias (negócios ou outras), e em fazer ligações mais autênticas e conscientes com os outros, é também bom dedicarmo-nos a mais atividades lúdicas, culturais e até espirituais, como dança, música, meditação, leitura, poesia, pintura, arte, entre outras… Um ano para expandirmos os nossos contactos e convivermos mais com os outros, descobrindo através do efeito espelho aquilo que também eu sou. É importante também estabelecermos cada vez mais contacto com a natureza, com os animais e plantas, desfrutar de momentos em comunhão com a ela, deixando que ela nos nutra e regenere, ajudando-nos também a sentir que somos filhos amados do Universo. Quem já não sentiu momentos profundamente mágicos e divinos em contacto com a natureza? Que possamos ir mais até ela, e cuidar mais dela.

Excelente período para refletirmos sobre as nossas relações e sobre os verdadeiros vínculos que as unem. Em que base estão construídas as minhas relações? Com que grau de consciência me relaciono com os outros? Com que pessoas quero reforçar vínculos? Que vínculos preciso cortar? Com quem quero verdadeiramente passar o meu tempo? Que relações valem a pensa alimentar e nutrir? De que forma posso também relacionar-me melhor comigo mesm@? O que tenho eu de dar a mim mesm@, que tento encontrar, muitas vezes, nas relações com os outros? O que é verdadeiramente Dar e Receber? Que trocas profundas e misteriosas operam no plano do verdadeiro amor? – Estas reflexões, muito venusianas, podem ser feitas com maior profundidade aproveitando também o facto de Vénus se encontrar agora a retrogradar no signo de Carneiro, até ao momento em que entrará no seu movimento direto a 15 de abril.

Por diversos outros fatores poderemos também continuar a assistir a violência, a injustiça, a impulsividade, a descontrole pelo mundo fora… Temos de observar a humanidade como um Todo, e percebermos que tod@s continuamos ainda num enorme processo evolutivo. Vamos despertando um a um, vamos caminhando par a par, mas quando olhamos para todo o mundo e para os 7 biliões que nele habitam, assistimos ainda a tantos opostos, a tantos abismos entre mundos, que nos faz parecer tão distantes e tão diferentes… Acredito que também isso faz parte do nosso crescimento, evolução e expansão de consciência. Continuemos a acreditar e a fazer nossa parte, para que a Consciência Coletiva se expresse e expanda cada vez mais. É mais um ano de oportunidades, façamos o melhor para que sejam oportunidades de Amor, Paz e Consciência.

Temos de ter em conta que sendo um ano onde inicia um grande ciclo regido por Saturno, os temas trazidos pelo mesmo vão começar a manifestar-se. Eu gosto de olhar Saturno como um grande professor sábio, que nos mostra as nossas limitações e restrições, mas que o faz de uma forma positiva e construtiva, pois ele ensina-nos onde devemos crescer, onde devemos amadurecer, onde nos devemos aperfeiçoar continuamente, mostra-nos também onde podemos ser grandes professores, grandes mestres, pelo exemplo, na grande disciplina que é a Vida. E Saturno vem dar-nos uma ajuda a sermos mais justos, mais corretos, mais moderados, mais respeitadores do nosso espaço e do do outro, aprendermos onde termina o nosso espaço e onde começa o do outro, sem perder a noção de unidade mas ajudando-nos a reconhecer que a verdadeira Liberdade de Ser vem do Respeito que consigo manifestar por mim, pelo outro e pelo que me rodeia, e que vem também da minha capacidade para assumir verdadeira Responsabilidade pelas minhas escolhas.

Saturno dá-nos aquele empurrão para terminarmos o que começamos, ajuda-nos a encontrar em nós as ferramentas para realizarmos de forma focada e determinada os nossos sonhos e projetos, e aprendermos que através da dedicação, do empenho e da resiliência podemos lá chegar.

Claro que se continuarmos a escolher o caminho do medo, do escapismo, da irresponsablidade, da procrastinação, da impulsividade, e da falta de Fé, então Saturno trar-nos-à a lição a lição do dever e da responsabilidade, e o que poderá vir vestido de dor, de sofrimento e de prisão, é no fundo uma grande oportunidade de nos conhecermos melhor e de fazermos escolhas mais consistentes e mais autênticas para o nosso caminho.

Para Saturno reflete: Onde preciso ser mais responsável? Onde preciso assumir a minha responsabilidade e as minhas escolhas? Onde preciso aperfeiçoar-me continuamente? De que formas me posso moderar e ser mais paciente? Onde tenho de ser mais determinad@ e resiliente? Onde tenho de dar o meu melhor para que a libertação em mim aconteça? Onde tenho de ser um exemplo? Em que áreas posso ser um verdadeiro mestre, para mim e para os outros?

Esta minha perspetiva sobre este novo ano foi bastante resumida, talvez num próximo artigo possa aprofundar e partilhar convosco esta questão das regências e as suas implicações/ oportunidades nas nossas vidas. Queria muito partilhar convosco aqui um artigo muito bom, que explica esta questão das regências dos planetas para este ano, mas o site onde está o artigo está em baixo, e até à data desta minha partilha não consegui aceder ao link. Portanto, se entretanto ficar disponível eu colocarei o link no meu site.

Hoje quero relembrar-nos a tod@s que temos então aqui uma semana especial até à Lua Nova de Carneiro, a primeira lua nova deste ano astrológico, para nos alinharmos com estas energias novas. A Lua está agora em Quarto Minguante (precisamente hoje às 15:59) e neste último quarto da fase lunar entramos num momento de reflexão e de interiorização. É aquela fase do dia em que faltam 30 minutos para sairmos do trabalho, olhamos para o dia e tentamos perceber se cumprimos ou não os objetivos, fechamos o que há para fechar, programamos o que vamos fazer no dia seguinte e preparamo-nos para chegar a casa e ir descansar na serenidade do silêncio e da escuridão.

Posso até fazer uma melhor analogia, este é aquele momento em que a lagarta começa à procura de um lugar seguro para puder construir o seu casulo e selá-lo por completo cerca de 3 dias antes da Lua Nova, onde depois irá aguardar pacientemente a sua transformação e subsequente saída gloriosa, numa nova, revigorada e deslumbrante forma.

Este processo da lagarta-borboleta, ensina-nos também que devemos realmente morrer para aquilo que queremos nascer. Ou seja, só podemos viver plenamente a vida, quando aceitamos a morte em nós, quando nos rendemos por completo, quando morremos para as nossas expetativas, medos, julgamentos, crenças limitadoras, sabotagens, inconsciências, padrões, quando morremos para o controlo da mente e nos abrimos ao fluxo do coração.

Então, nestes próximos dias, que estas questões (em baixo) te acompanhem, para que através da tua reflexão possas iniciar a tua entrada no casulo da vida.

Para o que queres morrer?
O que precisas largar e deixar ir?
Que dores, desafios e dificuldades tens enfrentado?
Que aprendizagens te estão a trazer esses desafios?
De que forma te têm afetado?
Que dizem eles sobre a tua realidade interior?
Que dizem eles da tua relação com os outros?
Falam de necessidades? De controlo? De medo? De mágoas?
O que que te pesa e deves deixar ir?
Ao que é que tens resistido?
O que queres abraçar de novo?
Que projetos, sonhos e ideais queres efetivamente realizar?
Que Borboleta queres Nascer-Ser?

Com estas reflexões começa a encontrar um local para o teu casulo e mergulha com coragem nessa fria e húmida escuridão, prepara-te para largar as velhas peles e máscaras que já não servem o teu caminho, e assegura-te de que vais ser cada vez mais fiel à tua verdade, ao teu sonho, ao teu propósito.

Na próxima semana, pela altura da Lua Nova, falarei do passo seguinte nesta fase de transformação. Por agora o convite é recolha, reflexão, análise do que passou, análise daquilo que hoje é e do que preciso para que cada dia seja mais autêntico, presente e pleno para mim.

Se quiseres partilhar comigo, e com outros, desta intensa e única energia atual, deixo-te então aqui dois convites:

1) No sábado, dia 25 de março pelas 10:00, na Academia Yoga Be One, facilitarei um Encontro de Meditação Especial dedicado ao Equinócio da Primavera.

2) Na terça-feira, dia 28 de março pelas 19:00, na Academia Yoga Be One, facilitarei um Encontro de Lua Nova, onde iremos plantar as nossas intenções para este novo ciclo lunar e solar.

Para mais informações e/ou inscrições basta responderes-me a este email.

Desejo profundamente que acolhas em Ti esta magnífica energia da Primavera, de forma graciosa e alegre. Que em Ti e na tua Vida possam brotar lindas flores que reflitam o quão Maravilhos@ e Únic@ És, e que a tua Árvore da Vida ganhe cada vez mais Luz, Consciência e Brilho.

Liga-te cada vez mais à Natureza e aos seus ciclos, quanto mais a conheceres melhor te conhecerás a ti mesm@, e através dela poderás aprender também a ter uma vida mais plena, vital e consciente, vibrando em Paz e Amor.

“Desde tempos imemoriais, o homem é considerado como um resumo do universo; ele foi representado nos templos como uma chave capaz de abrir as portas do Palácio do Rei do Grande Cosmos, porque tudo o que existe no Universo, enquanto matéria e energia, encontra-se, em menos grau, no Homem. É por isso que ao Universo se chama “macrocosmos” (grande mundo) e, ao Homem, “microcosmos” (pequeno mundo); e Deus é nome do Espírito sublime que criou o grande mundo e o pequeno mundo, é ele que os vivifica e que sustenta a sua existência. Para viver e se desenvolver, o microcosmos, isto é, o Homem, é obrigado a manter-se em contacto permanente com o macrocosmos, isto é, com a Natureza; ele deve fazer incessantemente trocas com ela, e é a isso que se chama “vida”. (…) A Natureza é o grande livro que doravante devemos aprender a ler. É o grande reservatório cósmico a qual devemos ligar-nos. Como estabelecer essa ligação? É muito simples: o segredo é o Amor. Se amarmos a natureza, jorrará em nós uma grande força. essa força do amor é uma nascente que corre e que lava as impurezas; graças a ela, desimpediremos os canais que em nós se encontram obstruídos e far-se-à uma troca que nos permitirá obter o elixir da vida imortal.(…)”, pensamentos e ensinamentos de Omraam Mikhaël Aïvanhov.

Despeço-me com a partilha desta inspiradora música Divenire de Ludovico Einaudi. “Divenire” é a palavra italiana que em português significa “tornar-se” – escuto esta música e vejo a Lagarta tornar-se em Borboleta, escuto esta música e vejo em mim a minha própria morte, transformação e renascimento. Que vos inspire!

Bênçãos de Luz para os vossos Renascimentos,
Cláudia

Desperta Para O Teu Coração

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s