Lua Nova em Peixes – O Poder da Transformação

sunrise-1765027_1280

Olá!
Espero que te encontres bem.

Aproximamo-nos da Lua Nova em Peixes, sendo esta também um eclipse solar.
Os eclipses solares acontecem durante os períodos de Lua Nova, quando a Lua lança uma sombra sobre a Terra, estando o Sol e a Terra em lados opostos da Lua, e os três alinhados de forma perfeita (ou quase).
Este eclipse solar chama-se também de eclipse solar anular, porque a Lua apenas irá cobrir o centro do Sol, deixando visível o seu exterior, revelando dessa forma um anel de luz nos céus (como podemos ver na imagem em baixo).

Não nos é possível ver o efeito deste eclipse em todos os pontos do planeta, pois a sombra da Lua não é grande o suficiente para abraçar o planeta inteiro. Sendo que as áreas abrangidas mudam também durante o eclipse, porque a Lua e a Terra estão em constante movimento.

Esta pequena explicação astronómica tem como propósito ajudar-me também a explicar-te, astrológica e espiritualmente, o significado simbólico destes acontecimentos.

Imaginemos o Sol que pela sua luz, brilho e intensidade, pode ser entendido como um símbolo de Consciência, de Luz, de Brilho, de Criatividade, que encerra a potencialidade do Homem, impulsionando-o na descoberta e manifestação do seu máximo potencial.
Esse Homem habita na Terra, portanto, é a Terra o palco desta potencial descoberta de manifestação. Sendo que a Terra necessita do Sol para viver, pois o Sol alimenta, traz alegria, traz entusiasmo, traz o dia, traz a luz, e através dos seus raios descem vitaminas e componentes essenciais à vida na Terra. A Terra precisa do Sol todos sabemos. E o Homem pode ver no principio simbólico do Sol aquilo de que também ele precisa, e no fundo, aquilo que também ele é – Luz, Consciência, Amor…

Mas sem a Lua nada disto seria possível! Como também sabemos, a Lua influencia a vida na Terra, sob várias formas, um exemplo direto, é a influência que a Lua tem sobre as marés. A Lua não possui brilho próprio, ela apenas reflete a luz do Sol, e ao longo do seu ciclo mensal e da sua rotação em volta da Terra (ela própria também em rotação sobre si mesma), a Lua vai refletindo várias faces da mesma Luz. Ou seja, ela vai revelando-nos várias facetas do Sol, e dispensando para a Terra (e para os seres que nela habitam), de forma cíclica e inconstante, a energia solar.

Se observarmos a Lua como um aspeto que temos dentro de nós, podemos dizer, que através dos seus ciclos é-nos dispensada energia que contribui para a nossa transformação enquanto seres humanos e subsequentemente oportunidades de continua expansão de consciência.

O Sol masculino, e a Lua feminina, o principio ativo e consciente do Sol, e o princípio recetivo, inconsciente e instável da Lua, e nesta dança temos a oportunidade de integrar as nossas sombras internas, as nossas necessidades, os nossos mistérios (Lua), com a Luz da Consciência, com o principio da clareza e do discernimento (Sol). E isto tudo só é possível através da recetividade lunar em nós, que tudo acolhe, e que tudo se predispõe a transformar e transmutar.

Para nós, seres humanos, a dinâmica Sol-Lua-Terra é um símbolo das constantes transformações internas que vivemos, e um potencial de transformação cíclica que continuamente temos ao nosso dispor nas nossas vidas. Um potencial de encarar o nosso inconsciente, as nossas sombras, os nossos medos, as nossas ilusões, as nossas necessidades, e que através da energia do ciclo lunar (que nasce da relação Sol, Lua e Terra), nos pode ajudar a iluminar a escuridão, a reconhecer, a aceitar, a curar, a perdoar, a libertar, a integrar e a renascer.
Vida em continua transformação, em continua expansão, rumo à evolução, rumo à consciência do Amor que Somos. Esta dinâmica ativa o potencial do nosso verdadeiro Eu/Espírito.

Passando a explicação, que espero não ter sido demasiado confusa e/ou complexa, vejamos então que potencial de transformação nos traz esta Lua Nova em Peixes.

Ao que nos convida esta Lua Nova em Peixes?
Que potencial encerra?
Que potencial iluminador nos traz este eclipse?

Nos eclipses a energia é fortemente concentrada, eles não acontecem em todas as Luas Novas, apenas “se dão” quando o alinhamento entre o Sol, a Lua e a Terra é perfeito ou quase perfeito. Portanto nos eclipses está concentrada uma dispensação energética que podemos aproveitar para navegar mais fundo e mais longe dentro de nós, iluminando a escuridão e trazendo mais Luz à nossa consciência.

No período de Lua Nova, como em outros artigos já falei, é tempo de vazio, é tempo de recolhimento e de introspeção. É aquela altura em que colocamos as sementes na terra e as deixamos a germinar no frio, no escuro, na terra nutridora e acolhedora, para que no seu tempo essas sementes possam romper a terra e cumprir a sua função. É tempo de plantarmos o que queremos ver manifesto em nós e nas nossas vidas.

Nestes dias que antecedem a Lua Nova podemo-nos sentir mais sensíveis, emocionalmente mais instáveis e reativos, mais confusos, até meio perdidos e sem norte, podemos sentir que em dado momento colocamos em causa a nossa Fé, e isto acontece por ser uma energia típica de Peixes, sendo também natural sentirmo-nos numa fase mais contida e introspetiva nos dias que antecedem as Luas Novas – é um fecho de ciclo – momento de integrar o ciclo anterior.

Acrescentamos a isto uma fase atual em que estamos a encerrar outros tantos ciclos, que são: o último ciclo lunar que iniciou em Aquário, esta é também a última Lua Nova deste inverno e ano astrológico, este eclipse solar em Peixes é também o “último” de uma série de anteriores eclipses neste signo nos últimos anos…

Observemos então esse desconforto em nós, observemos a nossa inquietude interior, sem julgar e sem nos identificarmos com ela… Respiremos fundo e observemos tranquilamente tudo o que se passa cá dentro… Podemos depois intencionar com a ajuda da Lua, que chegue até nós mais harmonia, maior entendimento, maior clareza interior, maior discernimento, que nos ajude a reconhecer as nossas ilusões, que nos ajude a largar o passado e a deixar ir tudo o que não serve o momento presente.

Em Peixes temos a energia da libertação e  da rendição, libertar o que já não serve o nosso caminho, libertar o que podem ser objetos, hábitos, rotinas, formas-pensamento, crenças limitativas, emoções de dor e sofrimento, relações tóxicas… Podemos pedir que sejamos capazes de reconhecer e libertar o que não serve a nossa Consciência e crescimento, o que limita o cumprimento do nosso propósito… E rendermo-nos, rendermo-nos à Vida, aceitá-la tal como ela é a cada instante, aceitarmo-nos como somos, amarmo-nos, respeitarmo-nos, rendermo-nos a nós mesmos e fluirmos em aceitação com o fluxo da Vida.

É também altura de nos ligarmos ao Sonho, ao Sonho Maior que habita o nosso Coração, acolher o sonho, sentir a sua veracidade e plantá-lo no terreno fértil e vazio aberto pelo campo da Lua Nova. Mas antes de plantar o Sonho há-que gerar espaço, deixando ir o que está a mais.

Sem espaço não há lugar ao novo.

É tempo pois de profundas transformações interiores…
Isto do deixar ir e do acolher o novo é simples de compreender, mas o processo pode ser bastante desafiante, eu sei. Muitas vezes, quando iniciamos o processo descobrimos o quão apegados estamos às coisas, aos sentimentos, às ideias, aos ideais, às pessoas, aos relacionamentos, aos empregos aborrecidos, e o preço tão alto que pagamos por isso.

Largar verdadeiramente torna-se então uma experiência às vezes dolorosa, gigantesca, uma verdadeira aventura que dava um guião para um filme de Hollywood – é a história heróica de cada um de nós!
Mas a recompensa por escolher a via da aceitação, da cura, da rendição e  da libertação é brutal, é encontrar os milagres, é descobrir as vias da superação, é alinharmo-nos connosco, é sermos fieis a nós mesmos. A recompensa de escolher trilhar esse caminho é uma descoberta diária pela Liberdade, pelo Amor, pela Confiança, pela Coragem, é um acender constante da Chama do Coração.

É descobrir em nós a capacidade de aceitar a impermanência da vida, encontrando sempre a luz e a fé nos momentos escuros e difíceis, sendo também capazes de observar em serenidade os momentos de maior êxtase e alegria.

Pode ser uma jornada de semanas, de meses, de anos, de vidas, não interessa, mas é a jornada da nossa Vida, é a jornada de manifestação do nosso máximo potencial e da descoberta de quem realmente Somos.

Neste momento da vida é isto, é tempo de soltar, soltar, soltar, render, libertar, deixar ir…

Nesse soltar encontramos não só a liberdade e a clareza interiores, como também encontramos a Unidade. E este soltar não nos dissocia nem nos afasta dos outros, pelo contrário, dá-nos a capacidade de sermos mais unos e inteiros em nós mesmos, e essa inteireza do Ser vai aproximar-nos dos outros, vai ajudar-nos a sentir que sim, que fazemos parte de um Todo Maior que nos habita, e que estamos todos intimamente ligados uns aos outros, que viemos da mesma fonte, do mesmo Pai e da mesma Mãe.

O próximo eclipse solar, que será total, acontecerá a 21 de agosto deste ano, temos portanto 6 meses pela frente de um ciclo potencialmente transformador, podemos mesmo ver frutos mais concretos do nosso processo pela altura do eclipse em agosto. Até lá, continuemos a navegar nestes ciclos, da forma mais consciente que nos for possível, e que cada um de Nós escolha mergulhar na oportunidade de iluminação que nos é dispensada por esta dança cósmica.

Astrologicamente temos atualmente outros fatores, que podes encontrar em vários artigos de outros astrólogos, que marcam a nossa atualidade e que dão uma tónica muito própria a este eclipse.
Temos Marte conjunto a Úrano em oposição a Júpiter e em quadratura a Plutão. E esta Lua Nova dar-se-à conjunta (não exatamente, mas ainda assim em aspeto de conjunção) a Mercúrio, ao Nodo Sul e a Neptuno (todos no signo de Peixes).

Resumindo bastante, posso dizer isto sobre estes tempos:

São tempos de bastante confusão, podemos ir assistindo a mais episódios de violência a emergir em situações de confronto e de grandes desentendimentos, muitas lutas pelo poder e pela posse. Dentro de nós mesmos podemos sentir-nos mais voláteis e instáveis, estando mais reativos e impulsivos. Cuidado a quem não estiver no Presente, estamos mais suscetiveis a acidentes e a episódios que surgem de repente e sem aviso. Quanto mais dermos atenção ao filme da nossa mente e ao mundo exterior, em vez de permanecermos centrados e focados no Aqui e no Agora, ficamos mais predispostos a que nos sucedam imprevistos e situações mais “chatas” e impulsivas. Precisamos cultivar a moderação, a paciência e o centramento – prática da Meditação ajuda, foco na respiração, treino na atenção plena, no Aqui e no Agora.

Úrano em Carneiro está a pedir-nos que escolhamos a Liberdade, pede-nos o novo e o romper com as estruturas que já não servem, estruturas essas que também têm vindo a ser desconstruídas pela passagem de Plutão em Capricórnio.
Mas é-nos pedida uma Liberdade assente em valores de forte ética e moral, de igualdade e fraternidade, em comunhão com os outros seres (ditado também a presença de Júpiter em Balança), um convite a integrarmos opostos e a acolhermos o outro.

Como posso ser mais individual? Como me posso individuar cada vez mais enquanto ser único e divino? Mas em comunhão com as outras pessoas, respeitando e aceitando os outros tal como eles são, respeitando a natureza de cada um?

Vou descobrindo, após várias tentativas de integração de opostos, que os opostos são apenas UM, e que na verdade, se eu me respeito, eu respeito o outro, e que eu apenas posso ser mesmo Livre se permitir que o outro também seja.

Marte conjunto a Úrano e em quadratura a Plutão, traz-nos à flor da pele impulsos inconscientes para a mudança e para a ação, e as raivas reprimidas ou não direcionadas de forma construtiva, podem originar em acessos de violência, e de extrema impulsividade. Encontremos formas mais construtivas de canalizar essa agressividade, que na verdade é a energia da coragem, da determinação, dos saltos de fé, da garra, do entusiasmo pela vida.

Eu sou uma otimista, e vejo também isto como excelentes indicadores, para quem escolher o caminho pelo Bem, de “lutas” pela paz, pela igualdade, pela verdade e pelo continuo crescimento de todos nós. Mas cada um tem de escolher fazer a sua parte. E cada um tem de decidir que tipo de Guerreiro quer ser.

Tudo são escolhas. O que escolhes hoje fazer? E o que escolhes intencionar para ti e para a tua vida?

Tantas energias e planetas em Peixes falam-nos também de ilusões, e logo de desilusões, desilusões essas que surgem apenas para nos revelar a verdade, portanto as desilusões são boas porque nos removem o véu da cegueira/ilusão. Altura então de despirmos esses véus da ilusão, e de largarmos o passado, deixá-lo ir, aprender com o que ele nos trouxe mas seguir em frente.

Mercúrio também ajuda à festa, porque a nossa mente parece ficar toldada pela intensa carga emocional, tornando-se confusa e dispersa. Contudo, de forma integrada, podemos aqui alinhar a mente racional com a mente intuitiva, e temos aqui mais uma oportunidade de abrir os canais sensitivos em nós, de escutarmos a nossa intuição e a voz que sussurra no profundo do nosso coração. Excelente altura para iniciar/aprofundar artes, música e meditação.

E a grande bênção de termos tanta coisa em Peixes, destas quadraturas que parecem tão “bélicas”, e desta oposição Úrano e Marte com Júpiter, não ditam mais de que é preciso integrar opostos e fazer o caminho do meio – o Caminho do Coração – e fazer também o caminho da Cura, curarmo-nos, despertarmos do adormecimento coletivo em que ainda vivemos, despertarmos da ilusão. E pela via da aceitação, viver em rendição, o que nos conduzirá à verdadeira Libertação para recordarmos e sermos afinal quem Somos.

A energia está aí, a ser dispensada para nós, aproveitemos mais estas bênçãos e oportunidades. Cabe a cada um de nós escolher se quer continuar a jogar o jogo da cegueira e da ilusão, ou se quer romper e iniciar/prosseguir nesta jornada da Vida, vendo os Milagres da Vida, assistindo e observando ao florescer da Humanidade.

E lembra-te quando maior a tensão e a pressão maior o potencial de transformação.

Lembrando também que Peixes sendo símbolo de Unidade e da Integração com o Todo e com o Coletivo, é altura de pensarmos também em como podemos contribuir mais para o Bem Comum, para o Bem Maior.
Que papel escolho ter na construção da Nova Era, no caminho de Luz e de Consciência para o qual a Humanidade pode escolher seguir caminhar?
A escolha tem de ser de muitos, para que quando uma maioria o tiver escolhido, a humanidade possa então finalmente conhecer tempos de maior integridade. Por agora vivamos o Presente, a Vida é no Presente, e é nele que devemos Ser a nossa melhor versão.

Começa por ti, escuta as tuas necessidades e pede o que precisas e o que mais desejas à Lua, planta as tuas sementes, quanto maior for a autenticidade, sentido e consciência das tuas intenções, maior desfrute e bênçãos irás ter com as suas manifestações.

Para te ajudar a puderes colocar as tuas intenções da melhor forma com esta Lua e Eclipse, lê este meu Guia de Intenções Com a Lua Nova, segue os seus passos e coloca as tuas intenções na altura adequada.

A Lua Nova será no próximo domingo dia 26 de fevereiro pelas 14:59. Neste caso hora para Portugal Continental, com o fuso horário atual UTC +00:00, para outros locais fora deste fuso horário, podes conferir aqui a que horas se dá o momento exato da Lua Nova na região onde te encontras.

Como vem também sendo habitual, por esta altura eu facilito os Encontros de Lua Nova, onde através de dinâmicas vivenciais, prática de meditação, do recurso à astrologia e a outros saberes, te ajudo a colocares as tuas intenções com a Lua Nova da melhor forma.
Este encontro será portanto no dia 26 de fevereiro, próximo domingo, pelas 15:00 em Lisboa, na Academia Yoga Be One. Ainda vens a tempo de te juntar a nós para esta mágica partilha. Responde a este email para te inscreveres!

Para este encontro trago-te algo especial e uma oportunidade única de te conectares a estes ciclos que nos ajudam realmente a reconhecer as bênçãos e os milagres na nossa vida. Uma oportunidade para em grupo partilharmos a experiência de sermos co-criadores das nossas vidas, dançando de mãos dadas com este vínculo cósmico e sagrado entre o Sol, a Lua e a Terra.

Sei que é uma época dada a festividades carnavalescas, mas não é o que o tempo interior de todo nos pede, o nosso ciclo interior pede que dispamos máscaras, não que coloquemos mais.

Que sejas capaz de despir cada vez mais máscaras e de reconheceres a beleza que realmente És e nasceste para vir a Ser.

Caso não possas estar presente no nosso encontro, não deixes mesmo de fazer as tuas intenções.

Desejo-te umas excelentes intenções, acompanhadas de um profundo despir de máscaras!

Saudações Lunares,

Cláudia

Desperta Para O Teu Coração

P.s. – Fica atento ao meu blogue, pois estou a preparar umas novidades lunares que vais adorar. Mantém-te ligad@, e se fizer sentido para ti, ajuda-me a partilhar e divulgar o meu trabalho. Grata a Ti que me acompanhas 🙂

Uma opinião sobre “Lua Nova em Peixes – O Poder da Transformação”

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s